Há por aí rapazes com uma grande lata

Homens feitos com uma lábia tão mal conseguida que chega a dar dó. Felizmente, ainda não conheci muitos, mas o último que me apareceu à frente não me larga há cerca de um ano (um ano, exactamente). Já mete mais de 3 dezenas de velas no bolo de anos, está praticamente nos quarenta e está também a acabar a licenciatura que começou sabe-se lá quando (devia ele ter os seus vinte anos). Nunca consegui perceber muito bem como é que uma pessoa não se farta de reprovar a disciplinas e a tentar novamente, vezes sem conta (felizmente agora com o processo de Bolonha consta que há um limite de tempo e acho bem).

Consta também (vi com estes meus olhos) que o rapaz/homem feito em questão, anda no Facebook de cerca de quatro ou cinco raparigas a deixar poemas de amor da sua autoria (em que, acreditem, nenhuma linha faz sentido - possivelmente devido à inexistência de pontuação ou de lógica no que escreve). Já o topei à légua. Mesmo assim, ele continua todas as semanas a enviar-me mensagens de telemóvel (maldita a hora em que a minha colega lhe deu o meu número) com versos (também da sua autoria) e basicamente, a declarar-se. No fim remata sempre com um pedido para um encontro ou um almoço de sardinhas (para hoje!). Como há cerca de dois meses lhe disse por A mais B que não estava nada interessada e ele continua nisto, já não lhe respondo.

Como ontem não lhe respondi novamente (porque tínhamos acordado continuarmos a falar se ele parasse com os poemas e as declarações colectivas) ele enviou-me outra mensagem que era mais ou menos assim: « Não desperdices esta valiosa oportunidade para passarmos tempo juntos pois o meu amor por ti cresce como uma flor no deserto sem água para crescer e quando luz neve nem sempre juntos estamos vagas de paixão assombram e quando o meu espírito se deita porque estás no meu pensamento! Pensa nisso! » Perceberam? Eu também não.

8 comentários:

dee disse...

:/ também não percebo muito bem essas pessoas que já tiveram todas as provas, escritas, faladas e desenhadas de que não vai haver nada mas que continuam a insistir. Creepy!

E não sei porquê mas tenho a certeza que a única parte que a Miss Daisy queria era mesmo desse poema era que o vosso amor crescesse como uma flor no deserto sem água! :P

.:GM:. disse...

E digo eu que as mulheres são complicadas... há lá homens.... :-P

cereais disse...

Eu tentei ler 2x... Não percebi... xD
Coitadinho.

Também, não gsto muito desse tipo de pessoas. Mas a maior perseguição que eu tive só durou 2 meses. Também lhe deixei de responder, claro.
Mas continuava com monólogos e a chamar-me de melhor amiga.

Acabou por desistir xD

O mais fácil a fazer é ignorar.
Cansar-se-ao. Mais cedo ou mais tarde...

Tel/Fax: 217 269 188 - 961 47 31 58 Email: optipoc@gmail.com disse...

mais uma vez o ditado "quanto mais me bates mais gosto de ti"....se comprovou!

My lovely clothes disse...

Também não percebi, mas ele acabará por se fartar e desistir penso eu :)

aqui mesmo disse...

Isto há com cada um ahah

josépacheco disse...

o post tem imensa piada. o tipo, involuntariamente, também. esse é o género de poemas [?], no entanto, que, se aparecesse num certo «blogue dos autores» que eu cá sei, tinha logo dezenas de "gosto", e carinhas assim :), ou comentários de «lindo»! acredite, há gostos para tudo!

[m.m. botelho] disse...

Hilariante "pseudopoema", desagradável situação. A solução menos conflituosa é, creio que com reconhecimento universal, a de não responder. Há rapazes com grande lata, há, mas pelo menos fazem-nos rir. :)