Dos caminhos para a Felicidade


Sempre achei que muitas vezes não encontramos a Felicidade onde achávamos que encontraríamos porque nos limitamos a encontrar um poste destes, com várias direcções. Paramos em frente do poste, a ver qual das tabuletas é que diz a tão ansiada e desejada Felicidade. E vemos uma que, bem, diz preto no branco, "Felicidade". Se aponta para a esquerda, pois lá vamos nós, numa cruzada, para a esquerda. Com pensamentos de: estou no caminho certo, vai correr tudo bem, é mesmo por aqui. É desta. E esquecemo-nos de que, lá porque não percebemos o que está escrito nas restantes tabuletas, não significa que elas também não apontem para caminhos que nos levam à Felicidade. Simplificando: não raras vezes, seguimos na nossa vida por um caminho que achamos ser o único que nos leva à Felicidade e colocamos palas nos olhos, para que nada nos distraia da nossa incansável busca. Vemos os outros seguirem por outros caminhos e achamos que os caminhos que eles seguem não vão dar à Felicidade. Até nos apetecia percorrer um ou outro caminho que vamos espreitando, mas e a coragem para abandonarmos o caminho para a Felicidade? Não a temos. Não a temos porque, enfim, caminhámos já muito, além de que temos o pensamento quase paranóico de que só falta um bocadinho. Mais um esforço. E há um dia em que lá chegamos. Ao fim do caminho. E Felicidade? Nem vê-la. Há quem diga e bem que a Felicidade não é um destino, mas um percurso. O caminho. E chegamos também à conclusão que se calhar os outros caminhos (com aquelas direcções estranhas) iam dar a algo melhor.
Para não chegarmos a este ponto de ruptura e de desespero, só precisamos de fazer uma coisa tão simples quanto pararmos em frente do poste e irmos pelo caminho que nos apetecer mais. O mais agradável. O que nos realizar mais. Porque depois chegaremos eventualmente à conclusão que a palavra estranha lá escrita, na tabuleta daquele outro caminho, também era Felicidade. Nós é que não a soubemos ler.

4 comentários:

Susana Céu disse...

O ideal na questão da Felicidade é percorrer vários caminhos. Porque aquilo que nos faz feliz hoje não implica necessariamente que será o que nos faz feliz amanhã. E porque só experimentando é que sabemos o que nos fará, de facto, felizes :-)

Olívia Palito disse...

"E esquecemo-nos de que, lá porque não percebemos o que está escrito nas restantes tabuletas, não significa que elas também não apontem para caminhos que nos levam à Felicidade." - tão verdadeiro...
Por vezes gostava de desenvolver os meus comentários acerca dos posts que escreve, mas a Miss Daisy diz tudo, deixando-me sem capacidade de argumentação. ;)

Excelente texto. ;)

sand-ice disse...

a questão é saber o que nos deixa felizes! não é fácil, somos seres muito exigentes!

alice disse...

felicidade, felicidade.... eu já desde pequena que digo, quando me perguntam és feliz? respondo, há momentos bons e momentos maus, uns melhores outros piores.
Para mim a felicidade é um estado de um momento agradável prelongado, existem sempre momentos que nos deixam a penssar!!