Da imortalidade de Fernando Pessoa


Há setenta e cinco anos atrás, morria hoje o maior Poeta de todos os tempos. Pessoa deu o seu último suspiro no seu quarto do Hospital de São Luís dos Franceses, em Lisboa, depois de uma vida replecta de vivências, conhecimento e genialidade, de uma obra literária por desvendar e por ser devidamente (re)conhecida no tempo certo e, claro, depois de deixar para todo o sempre a sua assinatura entre os maiores nomes da Literatura Mundial.
« I know not what tomorrow will bring. »
Fernando Pessoa

8 comentários:

Jane disse...

Um dos meus autores favoritos. Admiro-o tanto, com toda(s) a(s) sua(s) personalidade(s) única(s), a forma como ele olhava o mundo e o passava para papel num impulso e sem precisar de grande esforço.
Um génio, sem qualquer dúvida.

Nádia disse...

Grande Fernando Pessoa, ainda bem que é estudado no 12 ano *

E. disse...

A obra dele é, de facto, uma genialidade imensa.

S* disse...

Era absolutamente genial.

Morcegos no Sótão disse...

Não me parece nada bem citares Pessoa em inglês com tanta coisa belíssima que ele escreveu na nossa língua... ;)

Adoro-o. Principalmente o ortónimo e tenho um lugarzinho especial para o Ricardo Reis (que ninguém gosta, eu sei). Falta-me conhecer o Bernardo Soares.

MJNuts

Dé Carvalho disse...

Adoro Fernando Pessoa :)

XS disse...

Coincidência...citei-o hoje!

Sabor Adocicado* disse...

« I know not what tomorrow will bring. »

perfeito. claro que as suas últimas palavras só poderiam ser sábias. ninguém lhe dá o devido valor. Foi sem margem para dúvidas o melhor de todos os tempos.