Do amor

Afinal e bem vistas as coisas, não existe sentimento mais reconfortante, mais seguro, mais nobre, do que o amor. Não há nada que nos encha mais o coração, que nos remende, ainda que por segundos ou minutos, ou escassas horas, todas e quaisquer feridas do nosso coração. E aqui falo de amor, simples amor. Seja por quem for e em que medida for. E podem vir todos os sentimentos do mundo, como grandes desilusões, tristezas, alegrias ou ansiedades, que o amor sobrepõe-se a todos eles e cura-os como só o amor consegue. Pode ser uma cura momentânea ou que, logicamente, não dura para sempre, mas é uma cura que nos faz erguer mais uma vez a cabeça, quando já não nos apetecia erguer a cabeça. É uma cura que nos faz rir, quando nem uma gargalhada julgamos ser capazes de dar. O amor é capaz de nos levar aos lugares mais profundos do nosso coração e fazer-nos acreditar em coisas que de tanto acreditarmos nelas, se tornam reais. Graças não só à nossa crença, como à nossa força e luta, para que se tornem reais. E estranhamente o amor faz-nos chegar à conclusão de que não importa realmente o quanto conhecemos de nós próprios, nunca conheceremos o suficiente para sabermos, antecipadamente, até onde iríamos, tudo o que daríamos, o que seríamos capazes um dia de fazer por amor. E é esse, talvez, o maior dos mistérios acerca do amor.

7 comentários:

Batom vermelho disse...

adorei o texto... o melhor de todos :) adorei

Marta disse...

LINDO! e tão verdadeiro... emocionou-me, este post

mi disse...

amei :)

Fiona disse...

Adorei o texto!

E é mesmo isto o amor... Aquele sentimento que nos torna capazes de tudo e de nada...

Mizuki disse...

Nunca nos conhecemos completamente até amarmos profundamente alguém.

:)

Anónimo disse...

Talvez, por causa disso, o amor esteja em toda a parte... Para receber amor, é necessário dar amor. O melhor amor é o verdadeiro e quando acontece, é tão bom...
Deste índio português
Toksha Aké!

Sofia disse...

Nao podia concordar mais ! :D
Por agora, esta tudo dito :)