Como os sentimentos dos outros nos conseguem mudar


Quando pedi para escreverem o melhor que pudessem como se sentiam (sendo que a frase começava com: Eu sinto...) o Gonçalo escreveu uma frase que me desconcertou. Enquanto caminhava perto dele, consegui ler que ele escrevia "Eu sinto vontade de saltar de um prédio de dez andares." Pareceu-me uma frase muito objectiva e directa, e, embora os erros ortográficos, fazia muito sentido, sintacticamente. Perguntei-lhe baixinho porque é que se sentia assim. Ele explicou-me que se sentia assim porque o pai dele era mau e a mãe tinha morrido. A frase dele incomodou-me muito, mas a razão pela qual ele a escreveu incomodou-me mais ainda. Vi então a frase da Matilde "Eu sinto-me triste por causa do meu pai e da minha mãe" e pedi à Matilde que a lesse alto, para que o Gonçalo não sentisse que era o único no mundo a sentir-se assim. Depois, falei-lhes do facto de, quando nos sentimos assim, termos de dizê-lo a quem nos magoa e, mais ainda, termos de procurar amizade e compreensão em mais pessoas, para que nos possam ajudar a curar as nossas feridas. O Gonçalo pegou no lápis, depois de me olhar muito atento, com o dedo a torcer um dos olhos. 
Começou a escrever. Aproveitei e disse a todos para escreverem mais, se quisessem. Quando espreitei para a folha do Gonçalo, estava escrito: "Eu sinto vontade de saltar de um prédio de dez andares feito de legos e sinto vontade de ser uma criança feliz."

15 comentários:

Johnny disse...

Que triste. Fiquei sem palavras.

Guinhas disse...

...n é justo uma crinaça sentir se assim.Mas e agora?Que se faz numa situação destas??

Carla disse...

Arrepiei-me.

Só sedas disse...

Nenhuma criança devia sentir-se infeliz. Foi bonito poderes ajudar de alguma maneira já que não lhes podes trocar de pais.

Marta disse...

tao querido e tão triste ao mesmo tempo. E doloroso sabermos que ha crianças a sofrerem em casa, crianças que sentem e pensam sentimentos e pensamentos tao fortes.
Ha pessoas que nunca deviam de ser pais.
beijinhos

Max disse...

Foi uma das experiências mais tocantes que li nos últimos dias. Ler me fez lembrar do poder de nossas palavras nas vidas dos outros.

Mary Jane disse...

Incrivelmente triste. Presencias-te mesmo isto? Ou é um exerto do livro qu estas a ler? Pergunto porque já li livros da autora e são bastante comovente nesse aspecto, mas porque tbm tenho curiosidade em saber se és educadora e vives mesmo essas experiencias. É dificil, depois tiras essas frases da cabeça, não? Pelo menos quando trabalhei com crianças, envolvi-me bastante, mesmo nao querendo.

Beijinhos

bécas disse...

As crianças são tão genuínas.
Estou arrepiada!

Buxexinhas disse...

Fantástico... EU SINTO que sou pequenina perante a grandeza destas crianças!!! :) E desejo que o Gonçalo alcance o que quer... ;) Beijinho

joana disse...

A verdade está nas crianças.

...Ju... disse...

nenhuma criança devia sofrer tanto assim!

Lou disse...

que lindo! ainda bem que ele ainda sente vontade de ser uma criança feliz :) ao menos isso!

Maria disse...

Fiquei com lágrimas nos olhos, por perceber e saber que existem crianças, que vivem uma realidade tão cruel.
Que mundo tão triste, que permite que grande parte das crianças não tenham o direito à felicidade .

Porque um dia me perdi... disse...

Fiquei arrepiada...especialmente porque tenho uma menina com 7... sao como as flores precisam de mil cuidados e por vezes vivemos desatentos... :(

Mãe adoptiva disse...

Que texto lindo!