Se há coisa que sempre me irritou profundamente


É a maneira quase obsessiva como os Telejornais tratam de determinados assuntos mais chocantes ou falados. Todos eles, um por um, alguns com mais incidência que outros, pegam num assunto (exemplo: Pessoa de cinquenta anos ao chegar ao carro, num parque de estacionamento, encontra um esquilo morto no tejadilho) e vão, durante dias e semanas, procurar numa busca interminável, todas as pessoas no país, depois na Europa e depois no resto do mundo, que, ao chegarem ao carro no estacionamento, encontraram um esquilo morto no tejadilho. Ao fim de três dias, já temos a notícia de um homem que, em Berlim, não encontrou um esquilo, mas um pássaro morto. Uma mulher que, na China, encontrou simplesmente um pássaro vivo no tejadilho. Ao fim de uma semana, temos cerca de dez casos mundiais. Se lhes der assim forte e feio, ainda chegam a fazer uma resportagem sobre isso.

5 comentários:

Nokas disse...

Por acaso...é um pouco irritante!

...Ju... disse...

conseguem ser tão chatinhos!

Croquete e Girassol disse...

Concordo. Aprofundam os assuntos até não se poder mais ouvir falar deles.
Por isso é que, cada vez mais, ouço as notícias na rádio, sempre conseguem ser mais concisos, precisos e, no fundo, dão só a notícias em vez de fazerem uma “reportagem” completa.

Ana disse...

Fez-me logo lembrar o caso da senhora que morreu em casa e esteve lá esquecida durante anos. Durante dias e dias não falaram de outra coisa, eram casos semelhante que apareciam todos os dias. E quando aparece outro assunto para massacrar nunca mais dizem nada.
beijinhos

Sóph. disse...

é verdade , também me irrita !
os jornalistas por vezes exageram !