Das pessoas que nos obrigam a tomar uma atitude


Há pessoas e pessoas. Há pessoas que sabem que tipo de lugar ocupam na nossa vida e respeitam-nos conforme o lugar que ocupam e há pessoas que não sabem e que, por não saberem (porque não estão para pensar muito nisso ou porque não lhes importa o que é que nós pensamos, mas o que elas pensam) vão fazendo o denominado ir esticando a corda. Vão fazendo o que bem lhes apetece e se nos chatearem pelo caminho, se nos incomodarem, se se intrometerem demasiado nas nossas vidas, este tipo de pessoa pensa que o problema é só nosso. E, no fundo, no fundo, acho que este tipo de pessoas tem razão. Tem muita razão: o problema é mesmo nosso. Por isso, quem melhor para resolver o problema que nós mesmos?

Muitas vezes o que me aconteceu na vida e que acho que nos acontece a todos, é deixarmos este tipo de situações arrastarem-se. E quando estas pessoas percebem isto (que nós deixamos isto arrastar-se e pior, que os deixamos esticar a corda e que a corda até já tem 8000 metros de comprimento) estas pessoas sentem-se com poder. Com o poder, começam em casos extremos, a achar que até mandam alguma coisa na nossa vida e, por isso, começam a pedir explicações. Do género: Então mas tu disseste que andavas sem tempo e agora eu soube que foste almoçar com X. E nós deixamos que situações destas se arrastem por três motivos:

1. Não nos apetece criar guerrinhas com ninguém, muito menos dispensar energias em coisas destas.
2. Vamos dando uma segunda, terceira, quarta, quinta e em alguns casos, sexta oportunidade. 
3. Falta-nos, (isto assim sem rodeios) coragem suficiente para enfrentarmos a situação de frente. Vamos mostrando que não andamos contentes, que nos andam a chatear, mas custa-nos pormos  fim à história.

E eu percebi, felizmente, que não há nada como um dia pegarmos em tudo o que nos anda a chatear e a incomodar e pôr um fim nisso. Dizermos frontalmente às pessoas que nos incomodam que não gostamos das suas atitudes. Que não têm nada de se achar no direito de nos incomodarem como bem lhes apetece, só porque nós gostamos delas e as deixamos pertencer à nossa vida. Se não o dissermos, então temos de agir de outras formas. Agora continuar a deixá-los incomodarem-nos, não. Não, porque a vida não está para isso. E percebi também, felizmente, que quando fazemos isto saímos sempre a ganhar. Sempre. Não raras vezes, as pessoas começam a ter cuidado connosco e a ver que, ou estão na nossa vida porque nos fazem bem e felizes, ou então podem ir embora, porque ganhar tristezas de graça, ninguém devia querer e aceitar.

9 comentários:

Ana disse...

Não gosto nada de pessoas assim, que abusam da confiança, como diz a expressão "damos-lhe a mão e puxam logo o braço".
Também sou das pessoas que vão aguentando a situação mas depois o desfecho não é o melhor porque não há paciência que aguente situações dessas.
Beijinhos

B. Cérise disse...

Todos os dias aprendemos alguma coisa, mesmo com estas pessoazinhas irritantes e estúpidas que não trazem bem nenhum à nossa vida.
Eu acho que fui aprendendo da pior maneira a afastá-las do meu espaço, mas consegui mais serenidade.
Beijos*

Mimi La Rose disse...

e quem escreve assim não é gago!

Heriwen disse...

Muito bem dito. E cheira-me que tenho um espécime desses na minha vida...
Boa semana*

Euphoria* disse...

Tens toda a razão! Pena é que quando damos conta, que realmente a corda já esticou demais, geralmente a coisa acaba mal!
Dizemos para nós próprias, que não faz mal, que não vale a pena chatearmo-nos ou ligar muito ao assunto. mas a verdade é que se de início pusessemos logo os pontos nos is, este tipo de situações não ocorriam...
Acho que está mais que na altura de percebermos que não merecemos que nos façam estas fitas!
bjs

...Ju... disse...

foi exactamente por isso que ontem, comigo, foi dia de tomar uma atitude! e impor-me enquanto pessoa!

csr disse...

Calhou ler este tee post hoje e parece que foi feito propositadamente para mim, que ando tãoooo desiludida com algumas pessoas. Hoje estou quase depre graças a essas desilusões. Tenho de escrever sobre isso senão rebento...
Bj

http://blogmarco19.blogspot.com/

Maria Café disse...

adorei, muito bem (:

miminho no meu blogue*

Miss G. disse...

Confesso que conheço pelo menos uma pessoa assim. Que faz cobranças. E que diz "para mim nunca tens tempo", "dou mais na nossa amizade", "mas porque é que não me queres contar o que se passa". E o mais engraçado é que muitas vezes cobra coisas mas depois tem atitudes opostas. E no entanto nunca fui capaz de lhe dizer nada porque sei que tem tudo base numa insegurança grande e tenho medo de a magoar. Estou a tentar encontrar um equilíbrio para lho dizer mas não está a ser fácil.