De como as tristezas nos proporcionam a paz

Cada vez mais me apercebo de que há grandes desgostos que sofremos e que na altura nos parecem insuportáveis de aguentar e aceitar, mas que com o tempo percebemos que o que a vida nos fez, foi, sem tirar nem pôr, um favor. É o nosso destino ou o que quer que seja que existe e nos guia, que nos está a dar outra oportunidade de sermos felizes, noutro lugar. Porque no lugar onde estávamos, na situação em que estávamos, existia tudo menos felicidade. Acho mesmo que o grande problema é que enfrentamos um grande desgosto como uma enorme perda, algo irreparável e eterno. E não é. Tudo é efémero, nesta vida. E só se gostarmos de sofrer é que nos vamos permitir continuar agarrados a um passado, a um momento, a um sentimento. O mundo é mais ou menos um relógio que, alheio aos problemas das pessoas que por ele se regem, continua a fazer movimentar os ponteiros e a fazer o tempo avançar. Já dizia William Shakespeare...

« You learn that no matter how many pieces your heart was broken into, the world doesn't stop so you can fix it...»

9 comentários:

Sóph. disse...

E tão verdade o que dizes querida *

Heriwen disse...

Concordo.
A questão é que nem sempre é fácil "largar" uma situação que possui um grande potencial, caso se desenvolvesse.

Guinhas disse...

Sem dúvida que é verdade!Muitas vezes sentimos nos injustiçadas pelas coisas que acontecem mas, a vida com o tempo mostra-nos que afinal as coisas aconteceram não contra nós, mas para nós mesmos.

Veronica disse...

Sei bem do que estás a falar. O tempo cura tudo mas custa muito. Mas para não pensarmos que somos só nós a passar por isto recomendo um blog chamado dias como este (ddiascomoeste.blogspot.com). É escrito por um rapaz e é um pouco a outra perspectiva do que falamos. A mim tem ajudado porque, dentro do triste, é positivo e divertido. Vale a pena começar pelo primeiro post e ler, em particular, um chamado "7 dias como este". É lindo!

mari disse...

e algumas vezes de uma efemeridade que assusta, que mobiliza :/*

Merenwen disse...

Estou a precisar de acreditar que é possível o que dizes, mas pergunto-me quantos meses mais até deixar de me sentir neste estado...o amor é amor é mesmo uma droga, e os pedaços são muito difíceis de apanhar.

Marta disse...

Tens toda a razao, mas no momento é sempre como nos tivessem tirado o chao. So com o tempo é nos aperceemos que secalhar ate estamos melhor assim.
beijinhos

csr disse...

Bem....como eu concordo e vivo segundo estas brilhantes palavras! E a verdade é mesmo essa, nada é eterno, nem os desgostos! Engraçado como dps de ter tido uma desilusão enorme (o meu divórcio dps de 10 anos dedicados e felizes)hoje prefiro pensar que se aconteceu é porque algo de melhor estaria à minha espera e parece que não me enganei...;-)

Sunshine disse...

Sem duvida! Já vivi essa sensação algumas vezes e depois de algum tempo as respostas surgem!!!
Parabéns pelo Blog... Boa semana!