Da incapacidade alheia (na blogosfera) de viver a vida


Se olharmos à nossa volta, se recordarmos todas as pessoas que um dia conhecemos e que fizeram parte dos nossos dias, notamos à distância as pessoas que não foram ou não são capazes de viver a sua própria vida. São pessoas que, pela ausência de acontecimentos grandiosos nas suas vidas, se tornam meros espectadores ou críticos das vidas dos outros. Porque nada de especial lhes acontece. Porque nada de verdadeiramente importante traz vida aos seus dias. Este tipo de pessoas vivem, assim, à custa de vidas que não lhes pertencem e se para nós é relativamente fácil detectarmos estas pessoas no nosso quotidiano, na blogosfera é ainda mais fácil. São invariavelmente (salvo uma ou duas excepções) pessoas que criam habitualmente blogues centrados em blogues de outras pessoas. São pessoas que escrevem sobre os outros, os posts dos outros, as vidas dos outros, os gostos dos outros, as pessoas que pertencem à vida dos outros, a escrita dos outros, os desejos dos outros, as frustrações dos outros, os sonhos dos outros. Em suma, são pessoas que, por não terem nada verdadeiramente especial com que lhes valha a pena ocuparem-se, vivem o seu dia-à-dia para analisarem, até à exaustão, palavra a palavra, frase a frase, post a post, as vidas dos outros. E isto enche-me de pena. Dá-me realmente pena saber que existem pessoas no mundo para as quais a vida é pouco mais do que olhar para o lado, para a vida do lado, para a pessoa do lado. Estas pessoas são pessoas que são tão vazias por dentro que, para preencherem esse vazio, para preencherem as suas vidas, precisam de tentar destruir, na sua própria cabeça, a felicidade dos outros. Mais não seja criticando-os. Porque não suportam que alguém encontre o amor da sua vida e deixe de querer escrever tanto no seu blogue. Ai escreve sobre tantas coisas? É porque inventa. Ai deixou de escrever tanto? E quem é que lhe deu autorização? Não suportam que um nascimento traga felicidade, amor e concretização de vida a alguém. Ai teve um filho e está muito feliz com isso como e porquê? Não suportam que alguém fale muito de um assunto porque para si é importante. Não suportam que alguém fale muito de um assunto porque quer falar do assunto. Ou só porque sim. Não suportam que alguém case e seja feliz. Ai casou e agora é feliz? Mas quem é que permitiu isto? Nem que alguém tenha amigos para os quais é realmente importante. Ai são muito amigas e têm blogues? Se calhar são a mesma pessoa. Estas pessoas não suportam que as vidas dos outros sejam preenchidas. Porque suportar isso era para elas aperceberem-se do enorme vazio das suas vidas. Da total e completa falta de sentido. E escreveriam sobre o quê? Sobre o vazio que sentiam? Não. Assim é-lhes extremamente mais fácil. Escrevem sobre as vidas dos outros. Invariavelmente tentando criticar cada pequeno e grande aspecto dessas vidas. Felizmente um dia irão olhar para trás e perceber que andaram a perder tanto tempo de vida, energia e cabeça, com a vida de outro alguém. E que isso em nada contribuiu para a felicidade delas. Pior (ou melhor, conforme a perspectiva): vão perceber também que os outros viveram a vida deles e que não a deixaram de viver só porque alguém se lembrou de ter como principal objectivo de existência humana viver vidas alheias.


Por isso e explicando preto no branco e claramente para todo o sempre:


Não, eu e a Kitty Fane não somos a mesma pessoa.


E assim esclarecidos ficamos todos em paz.

13 comentários:

...Ju... disse...

e se fossem? havia algum problema? as pessoas falam do que querem nos seus blogs. seja de qual for o tema! depois há aquela gentinha insignificante que se dedica a arreliar os outros... enfim! é de terem tempo a mais!

Batom vermelho disse...

Adorei o post!

Meu Deus, que triste que deve ser a vida dessa gentinha

Maria disse...

O melhor post de sempre :)

como disse a Ju e bem: há pessoas com demasiado tempo livre. Lá está: não se passa nada na vida delas ;)

Ana disse...

true true true true

concordo a 1000%

Anónimo disse...

mas olhe que já muita gente acha que a kitty tem este blogue se e verdade ou nao poste fotos e pronto como a sua arquinimiga pipoca o mais nao sei

XS disse...

Adoro quem é feliz!

Zaahirah disse...

A mim espanta-me é que, mais do que essas pessoas que escrevem sobre os outros, ainda haja quem as leia e as incentive a continuar o "bom trabalho".

Enfim. Prefiro manter-me afastada das pequenas guerras inter-blogs.

**

Marta disse...

antes de mais, escreves lindamente e o post é qualquer coisa. Confesso que quando o vi achei enorme, mas maniera como escreves e o que escreves fascina e deixanos colados aos textos :)

depois é deprimente o que essas pessoas dizem ou fazem, como a ju disse isto e publico mas ao mesmo tempo privado, porque cada um escreve sobre o que quer e bem lhe apetece e se nao gosta nao volta la mais.
beijinhos

MAG disse...

Adorei o texto e acho que tens razão na generalidade, mas há uns tempos surpreendi-me no meu Blog, contei uma coisa boa (que me renovaram o contrato) e foi das mensagens mais comentadas e as pessoas foram espectaculares comigo. Também há pessoas boas por aí ;)

B. disse...

Acabei de ler o teu blog de uma ponta a outr...adorei!

Adorei as fotos, a maneira de exprimir os sentimentos, a honestidade e acima de tudo a autenticidade!

Obrigada =)

Fiona disse...

Estas palavras fazem todo o sentido quandoi, cada vez mais, nos deparamos com blogs que se limitam a existir para esmiuçar tudo aquilo que este ou aquele blogger escrevem. E ainda por cima esquecem-se do mais importante: um blog é da pessoa que o cria e de mais ninguém e cada um escreve e mostra aquilo que muito bem lhe apetece. E se, em determinada fase da sua vida, prefere fazer um interregno na sua escrita ninguém tem nada a ver com isso. Pois... O problema é que depois estes bloggers que vivem à custam dos outros, ao deixarem de ter "alimento" para os seus próprios blogs começam a deixar de ter com que se entreter... É pena: comecem a pensar por si próprios e escrevam as vossas próprias ideias.

Heidi disse...

Como conseguiste fazer uma descrição tão fiel se, supostamente, és feliz? Foi só com observação...ou algo mais?
O que me chateia na felicidade dos outros é que muitas vezes passam por cima de muita gente para a conseguir! Ou seja casam sem amar, porque até gostam e é melhor estar acompanhado que sozinho!
Chateia-me que as pessoas, para serem felizes, abdiquem de princípios e eu o não consigo fazer!

Miss Daisy disse...

Heidi, consegui descrever porque para se escrever correctamente sobre alguém ou algo, só precisamos de duas coisas: argumentos lógicos e uma observação cuidada.

Somente isso. Bom domingo